COBERTURA ESPECIAL - Mão Amiga - Terrestre

04 de Maio, 2018 - 10:40 ( Brasília )

Laboratório do Exército atua na produção de medicamentos de alto custo

Em prol da redução de preços.

Na quarta-feira, dia 25 de abril, o Laboratório Químico e Farmacêutico do Exército (LQFEx) deu mais um importante passo no processo de transferência de tecnologia para a produção do Micofenolato de Sódio, imunossupressor, de alto custo, utilizado no tratamento de pacientes portadores de falência ou rejeição de transplante renal, cardíaco ou hepático.

Integrante do Grupo Executivo do Complexo Industrial da Saúde (GECIS), o LQFEx deu início à fase executiva do segundo ano da Parceria para o Desenvolvimento Produtivo firmada junto ao Ministério da Saúde, cujo principal objetivo é a redução dos preços de medicamentos de alto impacto para o Sistema Único de Saúde (SUS), por meio da nacionalização do Insumo Farmacêutico Ativo e da internalização de sua produção na rede de laboratórios oficiais.

Em dois anos, a parceria firmada já obteve uma redução de mais de 30% nos preços do Micofenolato de Sódio de 180 mg e 360 mg, estimando-se uma economia de mais de 50 milhões de reais aos cofres públicos. Para 2018, foram contratados até o momento cerca de 14,8 milhões de comprimidos, que serão distribuídos a todas as Secretarias Estaduais de Saúde das unidades da federação e ao estoque regulador localizado na Capital Federal.

No entanto, o apoio do LQFEx à saúde da população brasileira não é novidade. Há anos, essa organização militar bicentenária é o único laboratório público do Brasil fabricante e fornecedor da Rifampicina 300 mg, medicamento utilizado no combate a doenças como a tuberculose, a meningite, a hanseníase e a brucelose, cuja produção no último biênio ultrapassará a marca de três milhões de cápsulas.



Outras coberturas especiais


Base Industrial Defesa

Base Industrial Defesa

Última atualização 22 JUN, 13:20

MAIS LIDAS

Mão Amiga